segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Livro "Poesias Aleatórias" em pré-venda!

Olá caros leitores e escritores! Este post será curtinho e, sim, de divulgação de meu primeiro livro com poesias escritas há pouco e muito tempo. Todas elas misturadas e com alguns experimentalismos poéticos.

O meu primeiro livro já está em pré-venda neste finzinho de mês na Amazon, sendo liberado no começo de Março.  

Também gostaria de informar que estou preparando uma versão de bolso para vender sob demanda na Amazon (vamos ver se este negócio funciona mesmo) voltado, principalmente, para aqueles que podem ter a tendência de querer ter o livro impresso em mãos e cheirá-lo XD.


Mas é claro que este serviço de impressão sob demanda ainda não chegou no Brasil, mas quando chegar já estarei com tudo pronto XD.

Se quiser ler a prévia e ter em mãos o livro físico ou até mesmo querer comprar as duas versões, deixe aqui seu comentário e divulguem para os seus amigos.

Abraços randômicos e nos vemos por aí! ;) 

domingo, 4 de fevereiro de 2018

Poesia: A Chegada

Poesia "A Chegada". Contida no Livro "Poesias Aleatórias" a ser lançado no final de Fevereiro de 2018.

Talvez chegue tarde,
Talvez chegue cedo,
O fundamental no chegar,
Não importa encontrar,
Encontrará na hora certa

Não importa o destino,

Importante é caminhar,
Aprender o caminho,
Seguir sem desanimar

Se parar;

Seja pra admirar,
Se não fizer;
Seja pra pensar

O importante na jornada;

O caminho a percorrer,
Não foque no final da estrada;
Só chegará quando morrer.

Isto é muito Black Mirror #3

Olá caros leitores e escritores. Hoje, continuando da série Black Mirror um episódio que aborda tecnologias que não devem ser inventadas (apesar de termos algo parecido em nossas mãos neste momento). Estou falando do implante "Grão" onde guarda suas memórias para analisa-las e aproveitá-las posteriormente.


Neste episódio, nosso personagem principal é casado e mora numa casa que eu diria ser de classe A ou B, pois é muito ampla e confortável. Ele é advogado, mas também não é tão relevante pra história. Você se perguntaria, como escritor, como a profissão do personagem pode não ser relevante pra história? A resposta chega a ser simplista; a trama sustenta a história. O importante mesmo neste aspecto da vida do personagem são seu circulo de amigos e o relacionamento de um dele com sua esposa no passado. Lembrando que, a partir de agora CONTÉM SPOOLERS.


Após uma reunião mal sucedida, o advogado vai até uma festa em sua casa, onde encontra um homem conversando com sua mulher, um do seu circulo de amigos. No jantar o tal amigo faz uma piada sem graça e sua mulher dá risada e, através do "Grão", ele começa a remoer a cena na qual ninguém mais deu risada, depois o jeito de olhar... E depois começa a se tornar paranoico, coisa que se comprova no final do episódio, que sua filha era, na verdade, deste seu amigo. Com isto em mente, ele vai ao encontro dele, na casa dele, ameaça tirar sua vida se não deletar suas memórias com a atual esposa, já que no referido jantar ele declarou se masturbar com "cenas boas de outros relacionamentos" enquanto sua esposa estava esperando por ele em seu quarto. O restante é autoexplicativo.


No final ele aparece sozinho, em frente ao espelho, retirando o "Grão". Isto pode significar uma separação ou, dado o descontrole emocional do protagonista, um assassinato em série. Ao meu ver qualquer uma das interpretações podem estar certas.


Pontos importantes do episódio:


Na cena do jantar aparece uma das amigas do casal que foi sequestrada e o "Grão" retirado, isto mostra como é viver sem o implante numa sociedade que, praticamente, idolatra o implante, tornando-se dependentes dele. Uma analogia para os dias de hoje, já que todo escritor que escreve fala, mesmo que indiretamente, de seu tempo presente, seria as redes sociais e devices como celulares, tablets e notebooks. Hoje somos totalmente dependentes deles. Neste caso é como se roubassem seu celular e resolvesse não comprar outro.


Depois de confrontar o seu algoz, nosso "herói" bate o carro, sendo que o implante o alertou de que dirigir alcoolizado não era uma boa ideia, além de suspender a cobertura dos seguros contra acidentes. Isto, pensando no nosso mundo, teria um grandíssimo impacto, no qual as seguradores cobririam somente acidentes não induzidos; seguros antifurto seriam, praticamente, a prova de fraudes e desastres naturais seriam facilmente comprovados através dos implantes. Isto daria uma imensa segurança jurídica pra todos, porém a privacidade (coisa praticamente inexistente ainda hoje) seria totalmente obliterada em prol destes benefícios.


O implante é usado em aeroportos como forma de evitar acontecimentos indesejáveis em tais locais, controlando quem pode ter acesso a este serviço. Uma possível restrição de direitos para elementos suspeitos. Isto, como vemos hoje, pode gerar descontentamento e a marginalização dos indivíduos, tornando-os de fato criminosos.


Esta tecnologia, ao meu ver, tem mais malefícios do que benefícios, pois além da trama principal que nos mostra a paranoia possível de ser gerada num relacionamento (assim como os nossos dispositivos tecnológicos de hoje, porém com muito mais 'certeza' por parte do desconfiado), nos trás a um mundo onde a privacidade é inexistente e, mesmo se não quiser, você será exposto de forma constante a um assédio familiar e de amigos. Somente o fato do bebê do casal ter um implante já deveria ser preocupante, já que uma simples babá eletrônica já seria o suficiente. O que nos mostra a falta de arbítrio das pessoas sobre colocar ou não o implante, já que os pais, desde cedo, devem implantar o "Grão" nas suas crianças com a justificativa de deixar os seus filhos seguros, porém presos.


Por hoje é só, espero que tenham gostado do post e se quiser colocar aqui os seus medos ou esperanças quanto a este tipo de tecnologia, fiquem a vontade!


Abraços randômicos e até mais!