terça-feira, 16 de agosto de 2016

Ortografia: Artigo após a virgula.

Olá caros leitores e escritores, hoje irei falar de algo que vem me incomodando muito em textos na internet, desde posts até quadrinhos; o artigo após, a vírgula (aqui tem uma licença poética XD)

Gente; eu sei que pode parecer difícil e talvez até eu mesmo tenha cometido esta gafe mais de uma vez, mas há certas coisas que temos que nos policiar para que não aconteça. O artigo após a vírgula muitas vezes pode representar uma pausa natural do escritor durante o texto, mas uma vez que você treine para detectar este tipo de falha dificilmente você cometerá este erro. Sem duvida pretendo revisar os textos contidos no blog para que sejam isentos de erros, pois eu penso que quando se alerta sobre algum erro ortográfico, você mesmo não pode comete-lo, caso faça que seja por puro engano, mas nunca por falta de revisão.


Os casos se tornam mais graves quando estes erros ortográficos surgem num texto que você tenha pago. Já adianto aqui o meu compromisso de minimiza-los quando colocar algo para vender que seja de minha autoria. Imagine; você lê um texto cuja a historia é boa e as cenas são subsequentes (quando a primeira cena leva naturalmente para a próxima), mas você acha uma leitura difícil, sabe o motivo para isto acontecer numa história onde te interessa? É bem isso; artigos após a vírgula.


Também existem outros erros ortográficos comuns ao texto que pretendo abordar aqui, assim como as minhas próprias dificuldades com eles. Mas este texto é apenas o inicio de mais uma categoria aqui no blog. Conforme avanço em meus estudos como escritor, exercito a minha escrita e conhecimentos colocando aqui no blog, também gostaria que este tipo de conteúdo ajude alguém que queira mesmo escrever. Mas há uma coisa que não posso fazer pelos aspirantes como eu; escrever de fato.


Gostaram do post? Então curtam, compartilhe e retuítem para que todos saibam da boa nova! XD.


Abraços randômicos para todos e até a próxima.

terça-feira, 9 de agosto de 2016

[Resenha] Todos os Mentirosos

Olá caros leitores, hoje postarei uma resenha do livro "Todos os Mentirosos" de Lucas Mota. Conversei com ele e alem de escrever bem é muito gente boa!

O livro tem 208 paginas e trata-se de um romance ficcional realista com aspectos fantásticos, já adianto que só lendo para entender. Também gostaria de expressar o quão boa foi a leitura, nos faz pensar um pouco sobre atitudes impulsivas que temos na maioria das vezes. Esta história, caros leitores, nos mostra o quão frágeis somos em nossas decisões.

O livro em questão está em pré-venda aqui.

Site do autor

Sinopse e crítica:

O livro "Todos os Mentirosos" conta a história de Leonardo Martínez; um jovem rapaz em seu primeiro emprego e... Entediado pelo mesmo. O que você, caro leitor, precisa saber dele é que não é de seu agrado mentir ou escutar mentiras, por conta disso ou qualquer outra aleatoriedade ele recebe uma dádiva que o leva para um caminho obscuro; o autoconhecimento.

Muito bem pessoas, vamos para os aspectos do livro e minhas percepções. Não cumprirei o desejo que o autor expôs em seu posfácio; escrever uma resenha negativa, até porquê eu gostei do livro. Tem uma boa e simples trama, os personagens são bons, mas não todos. Se adquirirem o livro vocês vão conhecer o diretor do Canal 4, as motivações dele, apesar de bem construídas; são fracas. Mas assim é na vida, me pareceu verossímil justamente pelas falhas das motivações, pois como o livro é narrado em primeira pessoa você acaba não conhecendo nenhuma muito dos outros personagens, apesar do autor usar recursos interessantes para contar estas micro histórias.
Outro ponto importante para ressaltar é que você deve se preparar para ser transportados para lugares de uma hora para outra, o autor não gasta tempo descrevendo os lugares que não são importantes para o Léo. A narrativa também simula uma colcha de retalhos em formato de pensamentos e lembranças do personagem, emulando com perfeição e transparência a mente de Léo.

Alerta para aqueles que tem cabeça fechada para o pensamento filosófico; aqueles cegos pela religião e política podem odiar facilmente o personagem. Também alerto aqui um pouco do conteúdo sentimental do livro, ele contém; culpa, rancor, ódio, amor, amizade, carinhos e... Não darei detalhes, afinal você terá que ler pra crer!

Como fiz no último livro "Imagine Comigo" de Daniele Katayama, darei aqui as minhas notas baseadas em minhas percepções:

Voz do escritor: 7,6 (personalidade)
Roteiro: 9,0 (criação, desenvolvimento, viradas e desfecho)
Ambientação: 6,3 (descrições do ambiente e aspectos gestuais dos personagens)
Coerência: 8,5
Diagramação: 8,8
Capa: 8,0 (Ilustração, Título, montagem da sinopse e primeiras impressões).
Levando em consideração os mesmos pesos para todos os critérios acima listados a nota final é:
8,0 !!!

Então? Gostaram da resenha? Gostaram da minha opinião sobre os aspectos da obra? Coloca aqui o que acha! Compre o livro e deixe aqui o seu ponto de vista, além de resenhar lá na Amazon pra apoiar o autor. 

Quer ser resenhado? Contacte-me!

Abraços Randômicos pra todos e até a próxima! 

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Escrevendo: Textos vazios.

Olá caros leitores e escritores. Estou aqui hoje para escrever um texto sem sentimentos e sem conteúdo.

Brincadeirinha, hoje irei falar um pouco sobre os diversos textos que encontramos na internet e muitos deles são encomendas dos clientes; seja pra vender um produto ou apresentar um curso. Mas então qual seria a solução para capturar o leitor com a demanda que se tem nos dias de hoje; diversos cursos, e-books, infoprodutos e produtos convencionais. Como venderei a minha marca sem beirar o sensacionalismo que um escritor em busca de dinheiro pode fornecer? Isto exige uma mudança de paradigma, pois vender um produto não é descrever friamente as suas qualidades ou o que você vai aprender naquele curso. Quem escreve sobre um produto a ser vendido deve antes experimentar a sensação de ser cliente, pois sem esta experimentação não haverá profundidade em seu texto. Não que eu ache que meus colegas de oficio não deveriam escrever estes textos, mas que a empresa que os contrata deveria realizar a experimentação do cliente com quem irá escrever o texto sobre os seus produtos.


Já fui em varias entrevistas e também obtive vários relatos de profissionais de venda expostos ao seguinte "desafio"; o entrevistador fala o seguinte:


"Venda esta caneta, pode inventar qualquer qualidade especial para ela e usa-la como argumento."


A minha concepção de venda é inversa; você deve estudar as qualidades e defeitos de seu produto e desenvolver os argumentos sobre um produto real, isto dá veracidade e profundidade ao argumento de venda ou ao texto informativo de venda (carta de vendas). É inconcebível para mim, tanto como escritor quanto profissional de vendas, que existam vendedores que possam se basear em percepções superficiais sobre o produto. Para tudo que se fala e escreve deve haver estudo sobre o assunto abordado, caso contrário será muito difícil angariar novos clientes para determinado curso ou produto. E outra coisa que se deve ter em mente; se um texto não chamou a atenção do cliente, esta atenção não merecia ser capitada. Pois das duas uma; o seu produto não interessa para aquele tipo de cliente (a maioria das empresas acreditam nesta hipótese) ou seu texto não traz a experiência verdadeira de alguém que experimentou tal produto ou curso, pois não traz conhecimento e conteúdo para que o cliente em questão tenham informações solidas para tomar a decisão. O resultado disso é que o cliente não compra o produto ou ainda compre e crie mais expectativa do que ele cumpre, tornando-se inferior na visão do cliente em relação àquele produto que foi mais condizente com o seu desempenho descrito em textos publicitários, cartas de venda ou vendas diretas.


Não sei escrever um texto sem estudar minimamente o assunto, confesso que gostaria de ter esta habilidade. Mas pensando melhor; quem escreve e fala sobre aquilo que estuda, garante maior confiabilidade em sua fala e escrita e portanto tem os pés bem presos ao chão e não cai em textos vazios onde poderiam ser iludidos a comprar um produto potencialmente enganoso.


Gostaram do post? Curtam, comentem e compartilhem!


Abraços Randômicos à todos!