domingo, 30 de outubro de 2016

Post Random #7 Às Armas!



Olá caros leitores e escritores, hoje no blog irei abordar um tema ainda sensível aqui no Brasil; armamento para civis.
Todos nós sabemos que a segurança publica não anda bem das pernas, muito menos da cabeça. A educação que poderia tirar um pouco esta galera das ruas, também não está bem. Então vem o desarmamento, mortes por acidente envolvendo armas de fogo diminuem, mas a violência contra o cidadão continua a mesma... O que fazer?

Não tenho pretensão nenhuma de dar uma reposta definitiva, muito pelo contrario; o foco aqui é a reflexão.

Digamos que colocaremos armas nas mãos do cidadão comum... Se nem manual de instalação dos produtos que compra eles lêem, imagine as consequências em não saber manusear, manter e guardar uma arma de fogo? Na minha opinião uma arma de choque seria mais apropriado e mesmo assim perigoso.

O fato é que muita pouca gente desejosa pela posse de tal artefato, iria frequentar um curso de tiro. Se precisamos de órgãos como a AOB e aplicar uma prova para os bacharéis em direito para garantir a qualidade dos advogados que compõe esta classe profissional, imagina o que aconteceria com os cursos de tiro; o exército brasileiro teria que emitir certificado pra cada um que quisesse ter uma arma em casa? Com a burocracia no Brasil isto se torna inviável.

Digamos que foi superado o problema de formação dos portadores de armas de fogo, todas as escolas que oferecem tal curso são reconhecidas sem que tenha corrupção e tudo mais... Você acha mesmo que usaria uma arma no meio da rua para reagir a um assalto? E se reagisse, quais seriam as consequências criminais? Não vou me dar ao trabalho em mostrar os variados casos que vemos na imprensa, dizendo que por matar ladrão invadindo a sua casa ou assaltando o seu carro... As pessoas estão sendo processadas pelos invasores! Isto é um absurdo e uma insanidade da execução da lei. Não me oponho às investigações, mas é um constrangimento ser assaltado, quanto mais matar o invasor e ser processado (possivelmente preso) por esta ação.

As armas de fogo nas mãos dos civis, na minha opinião, não são a solução. O caminho é a educação, estruturação adequada do estado e do precário sistema de execução das leis, bem como a celeridade no processamento penal.

Quer andar armado? Boa sorte!

Abraços randômicos para todos e até a próxima!

domingo, 23 de outubro de 2016

Post Random #6 Construindo uma Constituição.



Olá caros leitores e escritores. Conforme vamos construindo um mundo ficcional, nos baseamos muito no mundo real. Eventualmente construímos países e consequentemente; constituições. Neste post revelarei a minha experiência enquanto crio as regras de um universo ficcional baseado no estilo ficção científica / Space Opera.

Neste universo planejo escrever livros com romances ou contos numa série chamada Tecnocracia. Onde existem dois impérios vizinhos; a Terra e TechVolk. O segundo deriva do primeiro de onde surgiu uma inteligência artificial, só não revelarei o nome pra não dar eventuais spoolers de histórias futuras. Enfim, nela tive que montar o império de Tecnocracia de TechVolk. Vou fornecer a forma de constituição montada para este País fictício.

(...)

Constituição da Tecnocracia Volk.

Volk significa pessoa.

O conceito de pessoa terráqueo se refere a pessoa humana. De fato muito limitador para esta Constituição Volk.

Artigo Primeiro
Todo aquele ser que:
a) Se percebe como pessoa.
b) Aceita o conceito Volk de pessoa.
c) Respeita a vida Volk.
d) Enxerga todos os Volks como iguais.
e) Colabora com a continuidade desta Constituição.
Se encaixa como pessoa e cidadão Volk.

Artigo Segundo:
Todos os Volks (cidadãos de TechVolk) prometem proteger e se aliar com os ideais da Tecnocrata (Nome), soberana de TechVolk. Além de seguir esta Constituição e todas as regras postas nela, sem exceção alguma.

Artigo Terceiro:
TechVolk é uma instituição planetária tecnocrata onde a soberana (Nome) dita a palavra final conforme esta Constituição, sobre esta última está somente o bem estar e sobrevivência dos Volks e seus recursos de vida.

Artigo Quarto:
Todo ser inteligente que possivelmente se encaixe na percepção Volk de pessoa deve ser protegido e acolhido se assim desejar e tomar esta Constituição como base de comportamento e vida.

Artigo Quinto:
Quando não for possível o ser consciente ter o poder de tomar a decisão de se aliar a esta Constituição e seus ideais, seja por situação de guerra ou qualquer outro impedimento. É dever dos cidadãos Volks guardar e zelar pelas vidas em questão desde que a própria Instituição Tecnocrata Volk não corra riscos exacerbados.

Artigo Sexto:
Quando a Instituição Tecnocrata Volk estiver com recursos suficientes e em segurança para a sua continuidade e prosperidade, será dever desta aniquilar qualquer domínio abusivo, ditatorial, manipulador e que impeça que as pessoas deste planeta de tomar a sua decisão genuína, sem qualquer influência negativa. A seguir estão listados os tipos de instrumentos e métodos que poderão ser utilizados em ordem de prioridade maior até a menor:
1) Diálogo e negociação com os lideres declarados e não declarados da Terra.
2) Intervenção e espionagem.
3) Campanhas de revelação e infiltração em instituições da Terra.
4) Bombas econômicas e psíquicas.
5) Ameaça Militar.
6) Guerra Parcial.
7) Guerra Total.
8) Em ultimo caso onde os recursos de utilização estiverem esgotados e recursos diplomáticos e militares exauridos. É dever do soberano da Instituição Tecnocrata de Volk aniquilar a Terra afim de não mais ameaçar qualquer outra vida da Galáxia ou Universo.

Artigo Sétimo:
Em caso de morte da soberana (nome) e seus possíveis back-ups, desde íntegros, serão convocadas eleições democráticas através do melhor e mais seguro mecanismo possível. O soberano substituto terá poder imediatamente abaixo das demais organizações originais. Caso qualquer um dos conselheiros faleça na ausência de (nome), este indicará um substituto em segredo, guardado por Adin.

Artigo Oitavo
O novo soberano seguirá exatamente as premissas morais e legais desta Constituição, não cabendo à ele ou qualquer outro a alteração desta Constituição, mas somente à soberana primordial (nome).

Artigo Nono
Os garantidores desta Constituição por ordem de importância serão:
a) (nome); a soberana de TechVolk.
b) Adin; mecanismo tecnológico de cuidados de TechVolk.
c) Conselheiros cidadãos; elegidos por (nome) e Adin.
d) Senado de Volks; representantes dos cidadãos de TechVolk.
e) Os demais cidadãos de TechVolk.

Artigo Décimo:
A punição pelo desrespeito de qualquer uma das regras contidas nesta Constituição é a morte pelo método mais rápido e indolor possível. Será necessário, como em todas as mortes o descarte do corpo no Sol mais próximo para que não se comprometa o meio ambiente de TechVolk.

(...)

Como podem perceber, esta Constituição em grande parte se apoia sobre a sapiência de seu soberano. Garante também mecanismos para a permanência do mesmo no poder, mas como o apoio popular é fundamental pode-se notar a preocupação em manter os cidadãos ativos e dá tarefas importantes para os mesmos. Formando então a servidão do soberano para o povo, formando um perfeito equilíbrio. Há também mecanismos para momentos de crise, executando-os com perfeição não haveria problemas, mas como sabemos... O problema não é a lei ou a Constituição do País, mas sim as pessoas que as operam... Baseado neste defeito pretendo trabalhar o conflito de meu universo ficcional.

E então? Qual seria a sua Constituição? Qual tipo de ficção?

Abraços randômicos para todos e até a próxima.

domingo, 16 de outubro de 2016

Post Random #5 Filosofia pré-fabricada.



Olá caros leitores e escritores, hoje irei falar sobre algo que vem me incomodando há algum tempo; a filosofia pré-fabricada. Não sei se é por falta de tempo, preguiça de pensar ou pelo comodismo mesmo, mas as pessoas de maneira geral se cercam de filosofias (muitas vezes contraditórias entre si) e fazem uma colcha de retalhos com elas, desrespeitando vários pensamentos filosóficos de uma só vez.


Não vou citar exemplos neste post, pois ficaria muito longo. O que quero dizer é rápido e rasteiro; as pessoas têm que pensar sobre a sua posição na sociedade. Você não precisa se encaixar por inteiro em um grupo que tende a ter mais afinidade, basta reconhece-las e se diferenciar obtendo assim uma identidade única.
É obvio o que vou falar, mas é necessário para exemplificar as enxurradas de materiais iguais, "mais do mesmo" como já dizia Renato Russo. Posts nas redes sociais "resenhando" trailer (não vou nem citar os análogos no YouTube), pessoas que copiam opiniões umas das outras sobre filmes e séries, isto sem falar da polarização que existe em todos os setores da sociedade; não existe espaço pra opiniões moderadas. Vivemos tempos perigosos com as ideologias polarizadas e filosofias pré-fabricadas, não entendo como um ser humano pode ter um ponto de vista sobre tudo, sendo impossível conhecer todos os aspectos dos assuntos onde se encontra tal opinião. O que eu não entendo mesmo é como uma pessoa pode condenar o seu semelhante por ter uma opinião discordante; amizades desfeitas até guerras por intolerância.
Claro que é muito fácil falar "concordo com tal igreja por inteiro" ou ainda "fulano não concorda comigo, logo está errado", sem sequer levar em consideração os argumentos contrários, mudar de opinião ou não emitir uma, hoje em dia, parece um crime e todos parecem te condenar por isso.
Por estas e outras eu lhes digo; vocês têm o direito de não emitir opinião sobre tudo, tanto quanto é reservado o direito de não consumir tudo o que a mídia (virtual ou impressa) te coloca na cara. Você pode contrariar todos e ter uma opinião moderada ou falar "preciso saber mais sobre o assunto para obter uma conclusão", mas não se fruste se não conseguir chegar em nenhuma, pois cada um de nós têm uma aptidão para assuntos específicos; foi assim que a natureza nos fez.
Muito melhor não falar nada do que lançar "mais do mesmo" na rede. Pare, pense; se diferencie. Não apenas por ser diferente, mas será preciso pensar por conta própria para ser você mesmo.
Gostaram do post? Curtem, compartilhe e pense se você não está agindo no automático.
Abraços randômicos e até a próxima!









domingo, 9 de outubro de 2016

Post Random #4 Construção do mundo ficcional



Olá caros leitores e escritores. Conforme vamos construindo um mundo ficcional, nos baseamos muito no mundo real. Eventualmente construímos países e consequentemente; constituições. Neste post revelarei a minha experiência enquanto crio as regras de um universo ficcional baseado no estilo ficção científica / Space Opera.

Neste universo planejo escrever livros com romances ou contos numa série chamada Tecnocracia. Onde existem dois impérios vizinhos; a Terra e TechVolk. O segundo deriva do primeiro de onde surgiu uma inteligência artificial, só não revelarei o nome pra não dar eventuais spoolers de histórias futuras. Enfim, nela tive que montar o império de Tecnocracia de TechVolk. Vou fornecer a forma de constituição montada para este País fictício.
(...)
Constituição da Tecnocracia Volk.
Volk significa pessoa.
O conceito de pessoa terráqueo se refere a pessoa humana. De fato muito limitador para esta Constituição Volk.
Artigo Primeiro
Todo aquele ser que:
a) Se percebe como pessoa.
b) Aceita o conceito Volk de pessoa.
c) Respeita a vida Volk.
d) Enxerga todos os Volks como iguais.
e) Colabora com a continuidade desta Constituição.
Se encaixa como pessoa e cidadão Volk.
Artigo Segundo:
Todos os Volks (cidadãos de TechVolk) prometem proteger e se aliar com os ideais da Tecnocrata (Nome), soberana de TechVolk. Além de seguir esta Constituição e todas as regras postas nela, sem exceção alguma.
Artigo Terceiro:
TechVolk é uma instituição planetária tecnocrata onde a soberana (Nome) dita a palavra final conforme esta Constituição, sobre esta última está somente o bem estar e sobrevivência dos Volks e seus recursos de vida.
Artigo Quarto:
Todo ser inteligente que possivelmente se encaixe na percepção Volk de pessoa deve ser protegido e acolhido se assim desejar e tomar esta Constituição como base de comportamento e vida.
Artigo Quinto:
Quando não for possível o ser consciente ter o poder de tomar a decisão de se aliar a esta Constituição e seus ideais, seja por situação de guerra ou qualquer outro impedimento. É dever dos cidadãos Volks guardar e zelar pelas vidas em questão desde que a própria Instituição Tecnocrata Volk não corra riscos exacerbados.
Artigo Sexto:
Quando a Instituição Tecnocrata Volk estiver com recursos suficientes e em segurança para a sua continuidade e prosperidade, será dever desta aniquilar qualquer domínio abusivo, ditatorial, manipulador e que impeça que as pessoas deste planeta de tomar a sua decisão genuína, sem qualquer influência negativa. A seguir estão listados os tipos de instrumentos e métodos que poderão ser utilizados em ordem de prioridade maior até a menor:
1) Diálogo e negociação com os lideres declarados e não declarados da Terra.
2) Intervenção e espionagem.
3) Campanhas de revelação e infiltração em instituições da Terra.
4) Bombas econômicas e psíquicas.
5) Ameaça Militar.
6) Guerra Parcial.
7) Guerra Total.
8) Em ultimo caso onde os recursos de utilização estiverem esgotados e recursos diplomáticos e militares exauridos. É dever do soberano da Instituição Tecnocrata de Volk aniquilar a Terra afim de não mais ameaçar qualquer outra vida da Galáxia ou Universo.
Artigo Sétimo:
Em caso de morte da soberana (nome) e seus possíveis back-ups, desde íntegros, serão convocadas eleições democráticas através do melhor e mais seguro mecanismo possível. O soberano substituto terá poder imediatamente abaixo das demais organizações originais. Caso qualquer um dos conselheiros faleça na ausência de (nome), este indicará um substituto em segredo, guardado por Adin.
Artigo Oitavo
O novo soberano seguirá exatamente as premissas morais e legais desta Constituição, não cabendo à ele ou qualquer outro a alteração desta Constituição, mas somente à soberana primordial (nome).
Artigo Nono
Os garantidores desta Constituição por ordem de importância serão:
a) (nome); a soberana de TechVolk.
b) Adin; mecanismo tecnológico de cuidados de TechVolk.
c) Conselheiros cidadãos; elegidos por (nome) e Adin.
d) Senado de Volks; representantes dos cidadãos de TechVolk.
e) Os demais cidadãos de TechVolk.
Artigo Décimo:
A punição pelo desrespeito de qualquer uma das regras contidas nesta Constituição é a morte pelo método mais rápido e indolor possível. Será necessário, como em todas as mortes o descarte do corpo no Sol mais próximo para que não se comprometa o meio ambiente de TechVolk.
(...)
Como podem perceber, esta Constituição em grande parte se apoia sobre a sapiência de seu soberano. Garante também mecanismos para a permanência do mesmo no poder, mas como o apoio popular é fundamental pode-se notar a preocupação em manter os cidadãos ativos e dá tarefas importantes para os mesmos. Formando então a servidão do soberano para o povo, formando um perfeito equilíbrio. Há também mecanismos para momentos de crise, executando-os com perfeição não haveria problemas, mas como sabemos... O problema não é a lei ou a Constituição do País, mas sim as pessoas que as operam... Baseado neste defeito pretendo trabalhar o conflito de meu universo ficcional.
E então? Qual seria a sua Constituição? Qual tipo de ficção?
Abraços randômicos para todos e até a próxima!

sábado, 8 de outubro de 2016

[Ciência] O Efeito Doppler

Olá caros leitores e escritores, hoje em mais um post sobre ciência, trago-lhes um conceito vindo da física; o Efeito Doppler.

Muitos de vocês podem ter tropeçado em algum lugar onde havia relação com o efeito Doppler, mas se não sabe lhes darei algumas dicas a seguir.

Entendendo o conceito:
Imagine uma mola, isto mesmo, agora comprima este objeto imaginário. Você certamente deverá fazer alguma força para manter o objeto na mesma formatação, isto significa que há uma energia acumulada no mesmo. Vamos fazer uma correlação entre a mola e a observação deste efeito; em uma ponta da mola está o observador, na outra o objeto a ser observado. Nesta situação há um acúmulo de energia (ou ondas) entre os dois pontos, também podemos ver que há uma menor distância entre eles, portanto esta situação representa a aproximação do objeto. Esta conclusão pode ser tirada através da observação das ondas (mais comprimidas) em relação ao seu estado anterior, quanto mais rapidamente estas ondas desviarem pro azul (representando a compressão da mola), mais rápido o objeto está se aproximando.

Desvio pro Azul:
Se colocássemos um aparelho (espectrômetro) para observar estas ondas em relação à uma bola vindo em sua direção, poderíamos dizer em qual velocidade este objeto estava ao se encontrar com seu rosto. Podemos aferir com segurança o desvio do objeto para o azul, equivalendo a compressão da mola.

Desvio pro Vermelho:
Quando um objeto astronômico, uma estrela por exemplo, está se afastando do observador (Terra). É interessante ressaltar que o desvio pro vermelho também pode ser usado para determinar a taxa de expansão do universo. Podemos dizer em qual proporção o universo está se expandindo através do afastamento dos objetos, equivalendo ao esticar da mola em nosso experimento mental.

Utilização:
O efeito Doppler é basicamente um instrumento para a técnica de observacional astronômica, onde o objeto em questão deve ser observado diretamente, assim temos seu tamanho aproximado, velocidade e direção.

Primeira Constatação do Efeito Doppler:
Tal efeito foi observado no campo de estudos da acústica, isto mesmo; sabe quando um carro buzinando passa por você na rua? O som acumulado está vindo comprimido em sua direção enquanto o carro ainda não passa por você; o caso inverso ocorre quando o carro se afasta em relação ao ouvinte, dando espaço as ondas sonoras. Podemos novamente comparar com a mola, ficando bem fácil a observação do efeito.

Através do movimento das ondas sonoras, este conceito foi extrapolado para as ondas de luz, explicando as observações e consequentes desvios na coloração dos objetos; pro azul e vermelho. Fundamental constatação para a astronomia atual.

Gostaram do post? Comentem aí embaixo.

Abraços randômicos e até o próximo post!

domingo, 2 de outubro de 2016

[Ciência] Peso, massa, volume e densidade.

Olá caros leitores e escritores, hoje irei abordar mais um pouco sobre a ciência. Novamente um conceito "Matéria". Considere este post como uma introdução sobre o comportamento da matéria como um todo. Meu caros; a diferença entre; peso, massa, volume e densidade.

Primeiramente temos que ter em mente que quando falamos "Eu peso 80 quilos." Esta frase é cientificamente incorreta, explicarei.Quando você fala em peso, na verdade está falando sobre sua massa "Eu tenho a massa de matéria de 80 quilos." A massa é medida em quilos, portanto o peso é medido em Newtons, representado pela letra "N", sendo a força exercida pela gravidade sobre a massa (80 quilos) de seu corpo. Então temos a fórmula matemática; peso é igual à massa multiplicado pela força gravitacional exercida (P = m*g). Se preferir; a força é o resultado da massa (80 quilos) multiplicado pela aceleração, sendo a força medindo em Newtons, massa medida em quilos e a aceleração em metros por segundo (m/s). Sim esta foi uma referência ao modo de como as fórmulas matemáticas eram escritas na época de Newton; por extenso. Lembrando que esta fórmula é um modelo e ignora variáveis como a resistência do ar, por exemplo, mas como medida de matéria e forma de explicação sobre os conceitos de massa, peso e aceleração,funciona muito bem.
Superada esta primeira explicação, podemos seguir para o volume e densidade. Volume é a quantidade de espaço que uma determinada matéria ocupa no espaço. E não, não é o espaço sideral, mas o espaço onde o objeto está situado. A densidade, por sua vez é a concentração desta matéria dentro de um determinado volume, vamos à um exemplo prático. Pegamos um quilo de gelo e outro de água; as diferenças dos dois materiais são a densidade e o volume, pois têm exatamente a mesma composição. A maneira de como a água se distribui no espaço é dispersa, enquanto no gelo as moléculas estão bem comprimidas.

Então pessoal, gostaram deste tipo de assunto? Conseguiram entender (se ainda não compreendiam sobre este conceitos)? Deixem aí nos comentários!

Post inspirado por ScienceVlogs Brasil.

Abraços randômicos à todos e até a próxima.