domingo, 9 de outubro de 2016

Post Random #4 Construção do mundo ficcional



Olá caros leitores e escritores. Conforme vamos construindo um mundo ficcional, nos baseamos muito no mundo real. Eventualmente construímos países e consequentemente; constituições. Neste post revelarei a minha experiência enquanto crio as regras de um universo ficcional baseado no estilo ficção científica / Space Opera.

Neste universo planejo escrever livros com romances ou contos numa série chamada Tecnocracia. Onde existem dois impérios vizinhos; a Terra e TechVolk. O segundo deriva do primeiro de onde surgiu uma inteligência artificial, só não revelarei o nome pra não dar eventuais spoolers de histórias futuras. Enfim, nela tive que montar o império de Tecnocracia de TechVolk. Vou fornecer a forma de constituição montada para este País fictício.
(...)
Constituição da Tecnocracia Volk.
Volk significa pessoa.
O conceito de pessoa terráqueo se refere a pessoa humana. De fato muito limitador para esta Constituição Volk.
Artigo Primeiro
Todo aquele ser que:
a) Se percebe como pessoa.
b) Aceita o conceito Volk de pessoa.
c) Respeita a vida Volk.
d) Enxerga todos os Volks como iguais.
e) Colabora com a continuidade desta Constituição.
Se encaixa como pessoa e cidadão Volk.
Artigo Segundo:
Todos os Volks (cidadãos de TechVolk) prometem proteger e se aliar com os ideais da Tecnocrata (Nome), soberana de TechVolk. Além de seguir esta Constituição e todas as regras postas nela, sem exceção alguma.
Artigo Terceiro:
TechVolk é uma instituição planetária tecnocrata onde a soberana (Nome) dita a palavra final conforme esta Constituição, sobre esta última está somente o bem estar e sobrevivência dos Volks e seus recursos de vida.
Artigo Quarto:
Todo ser inteligente que possivelmente se encaixe na percepção Volk de pessoa deve ser protegido e acolhido se assim desejar e tomar esta Constituição como base de comportamento e vida.
Artigo Quinto:
Quando não for possível o ser consciente ter o poder de tomar a decisão de se aliar a esta Constituição e seus ideais, seja por situação de guerra ou qualquer outro impedimento. É dever dos cidadãos Volks guardar e zelar pelas vidas em questão desde que a própria Instituição Tecnocrata Volk não corra riscos exacerbados.
Artigo Sexto:
Quando a Instituição Tecnocrata Volk estiver com recursos suficientes e em segurança para a sua continuidade e prosperidade, será dever desta aniquilar qualquer domínio abusivo, ditatorial, manipulador e que impeça que as pessoas deste planeta de tomar a sua decisão genuína, sem qualquer influência negativa. A seguir estão listados os tipos de instrumentos e métodos que poderão ser utilizados em ordem de prioridade maior até a menor:
1) Diálogo e negociação com os lideres declarados e não declarados da Terra.
2) Intervenção e espionagem.
3) Campanhas de revelação e infiltração em instituições da Terra.
4) Bombas econômicas e psíquicas.
5) Ameaça Militar.
6) Guerra Parcial.
7) Guerra Total.
8) Em ultimo caso onde os recursos de utilização estiverem esgotados e recursos diplomáticos e militares exauridos. É dever do soberano da Instituição Tecnocrata de Volk aniquilar a Terra afim de não mais ameaçar qualquer outra vida da Galáxia ou Universo.
Artigo Sétimo:
Em caso de morte da soberana (nome) e seus possíveis back-ups, desde íntegros, serão convocadas eleições democráticas através do melhor e mais seguro mecanismo possível. O soberano substituto terá poder imediatamente abaixo das demais organizações originais. Caso qualquer um dos conselheiros faleça na ausência de (nome), este indicará um substituto em segredo, guardado por Adin.
Artigo Oitavo
O novo soberano seguirá exatamente as premissas morais e legais desta Constituição, não cabendo à ele ou qualquer outro a alteração desta Constituição, mas somente à soberana primordial (nome).
Artigo Nono
Os garantidores desta Constituição por ordem de importância serão:
a) (nome); a soberana de TechVolk.
b) Adin; mecanismo tecnológico de cuidados de TechVolk.
c) Conselheiros cidadãos; elegidos por (nome) e Adin.
d) Senado de Volks; representantes dos cidadãos de TechVolk.
e) Os demais cidadãos de TechVolk.
Artigo Décimo:
A punição pelo desrespeito de qualquer uma das regras contidas nesta Constituição é a morte pelo método mais rápido e indolor possível. Será necessário, como em todas as mortes o descarte do corpo no Sol mais próximo para que não se comprometa o meio ambiente de TechVolk.
(...)
Como podem perceber, esta Constituição em grande parte se apoia sobre a sapiência de seu soberano. Garante também mecanismos para a permanência do mesmo no poder, mas como o apoio popular é fundamental pode-se notar a preocupação em manter os cidadãos ativos e dá tarefas importantes para os mesmos. Formando então a servidão do soberano para o povo, formando um perfeito equilíbrio. Há também mecanismos para momentos de crise, executando-os com perfeição não haveria problemas, mas como sabemos... O problema não é a lei ou a Constituição do País, mas sim as pessoas que as operam... Baseado neste defeito pretendo trabalhar o conflito de meu universo ficcional.
E então? Qual seria a sua Constituição? Qual tipo de ficção?
Abraços randômicos para todos e até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Fique à vontade para exibir sua opinião e deixe o link de seu blog/site também. Abraços Randômicos!