domingo, 19 de março de 2017

Post Random #19 O Escritor, o editor e o alvo.

Olá caros leitores e escritores. Hoje irei falar sobre a edição de um livro, pois apesar de não ter editado livro algum eu li vários, muitos deles sofrem por conta dos escritores letárgicos, editores preguiçosos e falta de mira no público alvo. Vamos ver quais são as soluções e como acertar.

A função do escritor é conhecer bem as ferramentas de uma narrativa; vocabulário, fluência textual e ritmo, por exemplo. Existem várias outras, mas creio que estas sejam as principais. O vocabulário é como se fosse a munição, mas não importa ter uma boa munição sem saber como usa-la. A fluência é o tipo de arma usada, coisas como estilo e alcance da obra em questão, mas de nada adianta se você não sabe qual público atingir. Muitas vezes escrevemos por conta do estilo que temos, isso nos limita de certa forma, pois os estilos são muitos e as ferramentas diversas, por isso quanto mais armas você tiver; mais leitores você irá atingir. Mas qual leitor atingir? Já fiz minha história, escrevi ela com uma munição diversificada, as armas bem afiadas, por qual motivo não atinjo ninguém? Ah meu amigo, se você não atirar e correr atrás de seu leitor... Você está condenado ao esquecimento. Ninguém corre atrás de novatos, pois há vários com talento e persistência correndo e atirando em seu público alvo, seja o melhor! Não há nada pior do que um escritor talentoso e letárgico; um desperdício! Seria melhor que não perdesse seu tempo escrevendo. Pois eu, meu nobre colega, estou montando minha casamata neste blog, em breve começarei a atirar.

Se a função do escritor é contar uma boa história e correr atrás de seu público alvo, como um soldado numa guerra pelo seu lugar ao sol... O dever do editor é cortar o que é desnecessário, acertando a coesão do texto e os pequenos detalhes. Caso o escritor falhe em seu dever, o editor deve falar no que melhorar e se negar em reescrever o manuscrito, pessoalmente acho errado, pois este tipo de atitude, geralmente, dá origem à títulos medíocres, isto quando não são praticamente impublicáveis. Um editor piedoso, sem senso crítico, pode jogar o nome do livro e das pessoas envolvidas na lama! Muito cuidado com seu manuscrito sendo reescrito, não é certo, sua escrita precisa melhorar imediatamente. Por falar nisso... Conversem comigo, tenho varias formas de contato e podemos ver o que há de errado na sua escrita.

Retomando... O editor tem como dever fazer três coisas para dizer ao dono de um manuscrito insuficiente:
1) Mandar reescrever a historia, deste jeito não dá pra editar.
2) Nestas primeiras páginas você erra nestes aspectos...
3) Quer que eu edite mesmo assim? Ok, mas não vou reescrever a história pra você (assim nascem os impublicáveis publicados).

Um editor piedoso se contenta em arrumar os erros de gramática e concordância, sendo assim quase desnecessários para os escritores mais atentos à estes aspectos.

Os escritores, na minha percepção, devem ter pena dos editores, entregando textos redondos e fáceis de ler. Estudem!

Agora o público. Este aspecto depende muito de sua história e forma de escrever. Mas vou dar algumas coisas que percebi durante a existência deste blog:
1) Os leitores mais ativos são mulheres jovens e adultas.
2) Não tenha preconceito; elas lêem de tudo e um pouco.
3) O gênero de ficção científica e fantasia está cada vez mais forte! Prepare seu livro pra retomada do crescimento entre 2018 e 2019. É isso que estou fazendo!
4) Sempre busque opiniões de seus betas como "Pra quem você indicaria esta história?" Isto te dará uma percepção maior do que suas impressões.

Por falar em betas... Eles são muito importantes.

Por hora é só! Abraços randômicos e até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Fique à vontade para exibir sua opinião e deixe o link de seu blog/site também. Abraços Randômicos!